Saturday, December 22, 2007

Boas Festas / Merry Christmas

Já lá vai algum tempo, mas sabem como é nesta altura do ano... Fica uma imagem da serra de Montesinho com neve (aguarela s/ papel Arches). Boas Festas para todos!
* * *
It's been a while, but you know, it's that time of the year... I leave you with an image of Montesinho mountain in the snow (watercolour on Arches paper). Merry Christmas to you all!

Saturday, November 24, 2007

Villafáfila

Este é mais um desenho feito no fim de semana de observação de aves. Do outro lado do caminho, em frente ao observatório, fica esta ruína, que foi em tempos um pombal. Construído em adobe, a erosão do vento e da chuva deram-lhe este aspecto arredondado, que em conjunto com as cores quentes da terra, resultam numa estrutura muito bonita. Mesmo em ruínas, continuam a ter um importante papel como habitat de nidificação para uma pequena espécie de falcão, os peneireiros-das-torres. Apesar de nesta altura do ano eles estarem longe, em sítios onde os invernos são mais suaves, as ruínas não estavam vazias: um minúsculo mocho-galego olhava-nos, poisado na zona mais perto do chão.
* * *
This is another sketch from our birdwatching weekend. Right across the bird observatory lies this ruin. It was once a typical dovecot and I find its warm colours and rounded shape, modeled by the wind and rain erosion, very appealing. Even as ruins, they serve an important function as nesting habitat for the locally abundant Lesser Kestrel. At this time of the year, these are far away in warmer places, but the ruin was not empty: a tiny Little Owl was standing in the lower part, looking at us.

Thursday, November 15, 2007

Green all over


Este é o último trabalho que fiz nas aulas do Curso de Aguarelas. Provavelmente já só terei tempo de fazer mais outro, porque apenas temos mais quatro aulas até ao final do curso. Tenho a certeza que esta aguarela não vos vai parecer nada de especial, mas a verdade é que foi a mais difícil que fiz até hoje. Praticamente só tem tons de verde, e eu sempre achei as árvores muito difíceis de pintar. Se não tivesse tido o apoio do professor, provavelmente tê-la-ia deixado a meio. Tem muitas falhas - como, por ex., demasiadas sobreposições - mas ainda assim, fiquei contente por ter conseguido acabá-la. Mas ainda mais contente estou, por ser este o vale que fica logo abaixo da minha casa...
 * * *
This is the last watercolour I painted in my classes. I'll probably just make one more, for there are only four more classes to go. I'm sure this doesn't look like anything special to you, but it was surely the most difficult watercolour I've done, ever! There's green everywhere, and I've always found trees very difficult to handle. If it wasn't for my teacher's support, I would have given up halfway through it. It has lots of flaws - like too much layering, for instance - but still, I'm happy I was able to do it. But I'm even more happy to have this valley just below my house...

Wednesday, November 14, 2007

Bird observatory sketch

No fim de semana passado fomos a um sítio fantástico do outro lado da fronteira. Bem no interior da província espanhola de Castilha-Leão, a paisagem é uma enorme planície de terra árida, cultivada de vastos campos de cereais, onde se podem observar grupos de abetardas a pastar, umas aves enormes que fazem lembrar vagamente as avestruzes. Em tempos, estas terras estiveram cobertas pelo mar e vestígios da sua presença podem ainda hoje ser observados: são as numerosas lagoas de água salobra, que albergam uma avifauna muito rica, tal como os gansos e os patos que vimos às centenas. Aqui em cima está um dos desenhos que fiz - mostra o observatório de aves de Otero de Sariego. Foi feito com caneta preta,mas depois apeteceu-me dar-lhe um bocado de cor. Como não tinha levado nada, socorri-me dos lápis de cor das miúdas...

* * *
Last weekend we went to this great place just across the border. Deep inland of the Spanish Castilla-León province, the landscape is a huge plain of arid land, cultivated with vast cereal fields where the ostrich-like Great Bustards can be seen grazing in groups. Once, this land was covered by the sea. Traces of it can still be seen in the many shallow salted lagoons that today host a rich bird fauna, such as the geese and ducks we saw by the hundreds. Above is one of the sketches I did, showing the bird observatory of Otero de Sariego. I did it with a black waterproof pen, but then I felt like adding some colour to it. Unfortunately, I had no other art supplies with me, so I had to use my kid's coloured pencils...

Monday, November 5, 2007

Almost ready!


Está quase pronto, o livro sobre piscinas biológicas em que trabalhei durante o final do ano passado e início deste ano. Este fim de semana estive a fazer a revisão das provas e estou mesmo contente com o aspecto gráfico conseguido pela 1000Olhos. O livro vai estar pronto no final do mês e pode ser comprado aqui. Ficam duas páginas, para dar uma ideia do aspecto que vai ter.

The book on biological pools I've been working on from the end of last year till the beginning of this one is almost ready. I've been proofreading all weekend and I'm really happy with the layout achieved by 1000Olhos. The book will be out by the end of this month and it can be purchased here. Above are two pages, to give you an idea of how it will look like.

Thursday, November 1, 2007

Weee!



Estou tão contente! Depois de alguma discussão no forum do BookCrossing, decidimos que eu prepararia a arte final para as propostas 1 e 2 de ilustrações para as novas etiquetas para livros do BookCrossing, e que a Marcenda as enviaria, juntamente com uma nota explicativa, à equipa da organização americana para ver o que eles achavam. E aqui está a resposta deles: O trabalho é lindo! A ideia que lhe está na base é perfeita. Estou entusiasmada com aquilo que propuseram! Vou enviá-lo ao nosso designer gráfico para que ele o integre numa nova etiqueta e depois envio-a novamente a vocês para que a vejam antes de ir para a gráfica.Iupiii!
I'm so happy! After some discussion in the BookCrossing forum, we've decided that I would prepare final artwork for
proposals 1 and 2 for new BXing labels and Marcenda would send them together with an explanation note to the BookCrossing staff to see what they thought of it. And here's their reply: The art is lovely! The idea behind it is perfect. I'm thrilled with what you've come up with! I'll send it to our graphic designer to lay up in a new label and send it back to you for viewing before we go to print.Weee!

Saturday, October 27, 2007

Some sketches for BookCrossing


Alguns de vocês já sabem que eu sou membro do BookCrossing, uma fantástica comunidade internacional de pessoas que gostam de livros. Esta organização nasceu nos EUA, mas o número de membros provenientes de diferentes países tem vindo a aumentar consideravelmente. Por isso, a loja está a preparar novo material, tal como as etiquetas para os livros - traduzido em diferentes línguas - incluindo o português. Inicialmente, pensaram em utilizar como motivo gráfico o livro corredor que é símbolo do BookCrossing, mas depois decidiram pedir a opinião aos membros. E depois de alguma discussão no forum português, lançado por uma das bookcrossers portuguesas mais activas, a Marcenda, concordámos em tentar propor um novo motivo, que de alguma forma capturasse o espírito da língua e do BookCrossing, juntando três elementos: azulejos portugueses, um astrolábio, e o livro corredor. O astrolábio, um instrumento de navegação que durante muitos anos permitiu aos portugueses a possibilidade exclusiva de navegar em mar aberto, portanto, vital na descoberta de rotas marítimas para diferentes continentes, simboliza aqui o mundo, no qual nações de diferentes continentes foram unidas por uma língua comum. Os azulejos são também motivos comuns a monumentos de todos estes países e o livro corredor, bem, esse já anda a correr há muitos séculos, mas agora, mais do que nunca, através da comunidade de bookcrossers de língua portuguesa, que não tem parado de crescer. Assim sendo, aqui ficam três estudos. Por favor, digam se preferem a opção 1 (o de cima), 2 (o da esquerda) ou 3 (o da direita), ou se não gostam especialmente de nenhuma delas e devemos continuar a procurar outra coisa (não se acanhem!). Notem, por favor, que isto são apenas esboços grosseiros, os desenhos estão toscos (sobretudo o astrolábio) e foram feitos rapidamente com lápis de cor, enquanto que a arte final deverá ser em aguarelas. Ah, e apesar de as opiniões dos bookcrossers serem aquelas que vão ser tidas em conta, para efeitos de selecção (ou não), eu também gostava de ouvir as opiniões dos não-bookcrossers.
* * *
Some of you already know I'm a member of BookCrossing, an amazing international book lovers' community. Because the number of members from several countries of this US-born organisation have been increasing, their supply store is preparing to go to print with new bookplates in other languages, including Portuguese. They've thought about using Ballycumber, our running book, as the art but have ultimately decided to get the people's opinions for this. After some discussion in the forum, launched by one of our most active members, Marcenda, we've agreed to try to propose a new piece of art that somehow captures the spirit of the language and BookCrossing, joining three elements: Portuguese tiles, an astrolabe and Ballycumber. The astrolabe, a navigational instrument that for many years, gave the Portuguese the exclusive ability to navigate open waters, hence vital in the discovery of maritime routes to other continents, is here a symbol of the world, where nations from different continents were united by a common language. The tiles, too, are typical feature in monuments of all those countries and the running books, well, they have been running for centuries, of course, and now more then ever between a fast Portuguese-speaking bookcrossing community.
So here are three drafts. Will you please send your opinions, whether you prefer option 1 (top), 2 (left) or 3 (right), or none of them and we should keep trying to find something better. (don't be shy!). Please note that these are rough sketches, the drawings are coarse, with little detail and all were quickly rendered with coloured pencils, while the final art is supposed to be watercolour. Oh, and although the bookcrossers' opinions will be the ones that ultimately count, I'd like to hear that of the others, too.

Wednesday, October 24, 2007

More from my watercolour classes


Este é o segundo trabalho que termino nas minhas aulas de aguarela. Mostra a minha filha mais velha e um dos nossos cães num dos passeios que por vezes fazemos nas redondezas na nossa casa. Estou a gostar muito desta dose artística semanal, até porque, ultimamente, o tempo que tenho dedicado a este tema se tem resumido a estas duas sessões de duas horas cada... Decididamente, tenho que ver se melhoro este estado de coisas.
* * *
This is the second work I manage to finish during my watercolour classes. It shows my oldest daughter and one of our dogs during one of the walks we usually do near our house. I'm really enjoying this weekly art doses. Actually, these two hours twice a week are about all the art time I'm getting lately... I definitely need to improve this situation.

Saturday, October 13, 2007

Watercolour Classes

Pouco tempo depois de ter regressado de férias, um amigo falou-me de um curso de aguarelas, que ia ter lugar na nossa cidade, organizado por uma galeria de arte que abriu recentemente e que eu andava a querer visitar há já algum tempo. Assim, juntei o útil ao agradável, inscrevi-me no curso, e antes da primeira aula, visitei a galeria. Gostei imenso dos trabalhos expostos: as lindíssimas e estranhas esculturas em madeira e metal de João Ferreira (vejam esta e esta) e as belíssimas aguarelas de Manuel Ferreira, o nosso professor (podem ver uma aqui). A imagem mostra o meu primeiro (e até agora único) trabalho feito durante o curso, uma vista da parte antiga da cidade, dentro das muralhas do castelo. A casa do lado direito, ao fundo, foi inventada por mim, em substituição de uma mais feia que, na realidade, lá está. Uma das coisas boas que desenhar e pintar nos permite, é mudarmos a realidade como nos parecer melhor!
* * *

Right after I came from holidays, a friend told me about a watercolour course that was going to take place in our town, organised by an art gallery that had recently opened. I've been wanting to visit this gallery for some time, but the holidays came in between, so I hadn't had the chance to do it yet. So I just joined two good things together: I enrolled in the course and I finally visited the gallery before going in my first class and I must say I really liked the amazing and exquisite wood and metal sculptures of João Ferreira (just take a look at this one and this one), and the beautiful watercolours of Manuel Ferreira, who happens to be our teacher (you can see one of them here). The picture above shows the first (and so far only) work I did during the course. It is a view of the old town, inside the castle walls. The house on the far right was made up by me, to replace an ugly one that is actually there. One of the good things about painting and drawing is that you can change reality as you see fit!

Friday, October 12, 2007

Landscape spoilers


É a primeira vez que vou escrever um post deste tipo, mas tenho mesmo que o fazer, por isso, espero que me desculpem. A questão tem relação com a imagem aqui em cima, que representa uma vista da serra de Montesinho, parte de um Parque Natural e também de uma rede de áreas naturais de importância a nível europeu, a Rede Natura 2000. É aqui que vive a mais importante das últimas populações de lobo ibérico, aves de rapina e uma lista quase infindável de fauna selvagem, assim como espécies raras, muitas delas endémicas, da nossa flora.

Há muitos anos que venho até aqui, para um passeio, para mostrar a amigos que vêm de fora, ou simplesmente para um piquenique com a família, como foi o caso neste Verão, quando fiz este desenho. Infelizmente, a serra tem vindo a mudar e as perspectivas de futuro são de que vá ficar ainda pior. Tudo começou com algumas ventoinhas, de um parque eólico no lado espanhol, uma área que, ao contrário da nossa, não é protegida (porque em Espanha, tanto quanto sei, não existem parques eólicos dentro de áreas protegidas, o que, aliás, me parece muito bem). Em vez de ter requerido um estudo de impacto ambiental, como seria seu dever, o governo português comportou-se como se nada estivesse a acontecer. E o número de torres foi crescendo.

Durante o nosso piquenique, bem tentámos olhar para o outro lado e - à semelhança do governo - fazer de conta que não era nada e continuar a usufruir o nosso dia no campo. Só que foi impossível. Estávamos perto da fronteira, e mesmo olhando noutra direcção, não conseguíamos escapar ao barulho do parque eólico! Um som constante e desagradável, semelhante ao de uma autoestrada ou tráfego de uma grande cidade, na distância. Simplesmente horrível para quem percorreu uma série de quilómetros em busca de um dia num espaço natural, rodeado pelos sons calmantes da natureza... Connosco levámos uma das nossas cadelas, e ao vê-la entrar em pânico com aquele ruído (que para os ouvidos sensíveis de um canídeo deve ser bem mais perturbador), não pudémos deixar de pensar naquilo porque estarão a passar os pobres lobos...

Mas as notícias verdadeiramente más não são, sequer, estas, e sim o facto de o ministro do Ambiente ter declarado publicamente que vai levantar a interdição de construção de parques eólicos dentro do Parque Natural de Montesinho (PNM) que foi proposta pelos seus técnicos. Proposta esta, suportada por estudos que provam que, para Portugal atingir os níveis desejáveis de produção de energia eólica, não há necessidade de sacrificar qualquer área protegida. Muitos habitantes locais, ncluindo - evidentemente - os operadores turísticos, são contra a instalação de parques eólicos. A grande maioria, no entanto, não faz a menor ideia daquilo que se está a passar. As razões do ministro? As velhas e tristes razões políticas. Não os interditando, os parques eólicos serão possíveis sob certas condições, que não são nem objectivas nem claras, e portanto podem ser usados como moeda de troca para obter apoio político.

A proibição dos parques eólicos faz, por enquanto, parte do regulamento do Plano de Ordenamento do Parque Natural de Montesinho, que está neste momento em discussão pública. Eu vou preencher a minha ficha de participação, disponível aqui, na qual vou declarar o meu apoio à manutenção da interdição, não só dos parques eólicos, como de outras grandes infraestruturas "que descaracterizem significativamente a paisagem" (alínea j) do artigo 8º do Regulamento). Convido-vos a todos, desde que nisso acreditem, a fazer o mesmo. O formulário está em português, mas pode ser preenchido noutras línguas, por pessoas de qualquer nacionalidade. Pode ser enviado pelo correio para: Parque Natural de Montesinho, Bairro Rubacar, R. Cónego Albano Falcão, lote 27, 5300-044 Bragança, Portugal. Mas temos que nos despachar, porque a data limite é já o dia 17 de Outubro.

* * *
This is the first time I'm writing this kind of post, but I really have to do it, so I hope you will forgive me. It has to do with the picture above, a view of Montesinho, a beautiful and wild landscape, part of a Natural Park and also a network of natural areas of European importance known as Natura 2000. This is where the most important of the last Iberian wolf populations lives, the home of birds of prey and an array of other incredibly diverse wild fauna as well as rare, often endemic flora.

Living close, I've been going there for many years for a walk, to show it to visiting friends, or just for a picnic with my family, as was the case this summer, when I did this sketch. Unfortunately, things are not how they used to be and the threat is that they will get much worse in the near future. It all started with a few wind towers on the Spanish side of the border, which is not protected (because in Spain, as far as I know and is, in my opinion, very logical, there are no windfarms inside protected areas). Instead of demanding an environmental impact assessment, as was its duty, the Portuguese Government just pretended nothing was happening. So the number of towers just kept growing.

During our picnic, we tried looking the other way and - like the Government - pretend nothing was happening and go on enjoying our day in the wilderness. But it was impossible. We were near the border and even if we looked the other way, we could not escape the sound of it! A constant, buzzing sound, just like that of motorway or city traffic in the distance. Truly horrible, for someone looking for a day in the wild, surrounded by the soothing sounds of nature... We had also taken one of our dogs with us and watching her panicking over the noise (probably much worse for the sensible dog's ears), we couldn't help wondering about what was happening to the poor wolves...

But the really bad news is the Portuguese Minister of the Environment has publicly declared that he wants to change the interdiction of building windfarms inside the Park, that has been proposed by his technicians. This proposal is supported by a series of studies that have proved that for Portugal to reach a desirable level of green energy production through windfarms, there is no need to sacrifice any protected area. Many people of the area, including, of course, tourism operators, are in favour of keeping the windtowers away from the Park. The great majority have no idea about what is going on. So why is this happening, you may ask? The old, sad reason: politics. By not interdicting them, the windfarms will be possible under certain conditions, which are neither clear or objective, meaning it will always be possible to use them to get political favour.

The windfarm interdiction is part of the regulation of the Plano de Ordenamento do Parque Natural de Montesinho, currently under public discussion. I am filling in my participation form (ficha de participação), available here, where I am declaring my support to the proposed regulation, that windfarms, together with other large infrastructures that represent landscape spoilers, should not be allowed inside the Park. I invite all of you who believe in this, to do the same. The form is in Portuguese, but you can fill it in in your own language, sign it and mail it to: Parque Natural de Montesinho, Bairro Rubacar, R. Cónego Albano Falcão, lote 27, 5300-044 Bragança, Portugal. But we need to hurry, the deadline to submit our opinions is the 17th of October.

Saturday, October 6, 2007

Last one from the holidays


E aqui está o último desenho das férias - e este foi mesmo o último, feito numa das idas à praia já perto do fim das férias. O sol já se tinha posto, mas o meu marido e a minha filha mais velha não davam sinais de querer voltar para casa...
* * *
Here's the last sketch from the holidays - and this was really the last one I did, in one of our last days on the beach. The sun had already set, but my husband and older daughter didn't seem to be willing to go back home...

Wednesday, October 3, 2007

Still another sketch from the holidays


Pronto, está quase, já só falta este e mais um, para acabar de mostrar os desenhos das férias! Este foi feito a correr, enquanto esperava que as miúdas se despachassem para irmos dar um passeio. Mostra um casal de agricultores, a descascar maçarocas de milho e a espalhá-las no chão para secar, num campo mesmo em frente à "nossa" quinta. Fizeram isto todos os dias em que lá estivémos, quer o céu estivesse nublado, quer um tórrido sol. Quando nos levantávamos (não era assim tão cedo, mas pronto...) o homem já lá estava, depois a mulher juntava-se a ele até uma certa hora em que desaparecia (provavelmente para tratar do almoço), para depois regressar outra vez à tarde, quase até ao pôr do sol. Todos os dias me espantava com a paciência e a perseverança deles, perante o tamanho do campo e do trabalho que tinham pela frente.
* * *
O.K., I'm almost finished, there's this one and then just one more to go! This is a 5 min. sketch done while waiting for the kids to get ready for a walk. It shows a man and wife farmers, peeling corn-cobs and spreading them on the ground to dry in a field just across "our" farm. They did this every single day while we were there, either it was cloudy or the hottest of days . When we got up (O.K., not very early, but still...), the man was already there, then the wife would join him, then go away (probably to prepare lunch) until they got together again in the afternoon almost until sunset. The size of the field and the work ahead of them just left me amazed at their patience and perseverance.

Saturday, September 29, 2007

More sketches from the summer holidays


Aqui está mais um desenho feito durante as férias. Na segunda semana o tempo esteve um bocado instável. Alguns dias, houve mesmo trovoada e bastante chuva, que felizmente costumavam durar apenas metade do dia. Quando calhava passarmos a tarde na quinta, às vezes dávamos passeios pelos campos em redor ao fim do dia. As miúdas adoravam procurar os caracóis que infestam as plantações de batata doce e amendoim, tão abundantes aqui e tão raros onde nós vivemos. Este desenho foi feito durante um desses passeios.
* * *

Here's another sketch from the summer holidays. During the second week, the weather was a bit unstable and some days there were storms and rain, that fortunately usually lasted just half of the day. When we spent the afternoon at the farm, we sometimes went for a walk across the neighbouring fields at the end of the day. The girls loved looking for the snails that infest the sweet potato and peanut crops, very abundant here and quite scarce where we live. I did this sketch during one of those walks.

Wednesday, September 26, 2007











Mais um desenho das férias (caneta preta à prova de água, no Moleskine). Aqui, um pormenor do quarto, enquanto a mais pequenina fazia a sesta. Como se pode ver, parte importante das nossas malas foi ocupada por cães de peluche!
* * *
Another drawing from the holidays (waterproof black pen on Moleskine). This is a detail of our bedroom, while the small one made her nap. As you can see, an important part of our holiday
packing was filled with softy dogs!

Sunday, September 23, 2007

Back from holidays

Chegámos! Passámos belos momentos em algumas das mais bonitas praias do país. Nadámos, pescámos, passeámos, brincámos, lemos e eu fiz uns desenhecos. Não tantos como gostaria, mas mesmo assim ainda trouxe alguns que vale a pena mostrar (acho!). Todos feitos no caderno de esboços Moleskine - ao qual demorei um bocadinho a adaptar-me devido à superfície extremamente lisa e escorregadia das folhas. Decididamente, não é o ideal para aguadas com aguarelas, mas em contrapartida é excelente para desenhar com caneta. Mas chega de conversa. Aqui fica o primeiro desenho - não foi o primeiro a ser feito, mas é o primeiro a ser mostrado, por ser o meu preferido. Mostra a minha filha mais velha à beira da piscina biológica do turismo rural onde ficámos. Nos próximos dias, vou mostrar mais alguns. Entretanto, tenho que pôr em dia as visitas aos outros blogues!

* * * 
We're back! We spent great moments in some of the most beautiful beaches of the country, swam, fished, walked, played, read and I also did a little sketching. Not as much as I would have liked to, but there are at least a few worth showing here (I think!). All of them done on my Moleskine sketchbook and I found it a bit hard to get used to the extremely smooth surface of the paper - and definitely not suitable to add watercolour washes, but great for working with ink. So enough talk and here's the first sketch from the holidays - not the first one I did, but the first one I want to post, because it's my favourite. It shows my 6 yo looking at the biological pool of the farm where we were staying. I'll be posting more on the days that follow. Now, there's a lot of catching up to do on other arts blogs!

Sunday, September 2, 2007

Holidays!

Agora que todos parecem estar de regresso, nós vamos, finalmente, de férias! São apenas cerca de duas semanas, mas temos todos estado a contar os dias que faltam. Como quase toda a gente, vamos para a costa, mas agora que as aulas estão para começar, já se foram quase todos embora. Não vou dar notícias durante algum tempo, por isso aqui fica um desenho feito o ano passado, no mesmo sítio. Fi-lo com a minha filha mais nova (na altura com 2 anos) ao colo - tinha acabado de adormecer e não quis correr o risco de a acordar... Para este ano, as aguarelas e as canetas já estão na mala, assim como um Moleskine novinho em folha (o meu primeiro!), por isso espero regressar com alguma coisa para mostrar aqui!
* * *
Now that everybody seems to be coming back, we're finally going on holidays. Just for about two weeks, but we've all been counting the days. Like most people in this country, we're heading towards the coast, but fortunately, now that school is about to begin, the crowds are gone. You won't be hearing from me for a while, so I'll leave you with a sketch done last year at the same place. I drew it with my smallest daughter (aged 2 at the time) on my lap - she had just fallen asleep and I didn't want to wake her up... This year, I've already packed my art supplies, including a brand new Moleskine (my first!), so I'm hoping to come back with a few new sketches to share!

Wednesday, August 29, 2007

Sketchbook






Tem sido um Agosto movimentado, com visitas de família e amigos. Pouco tempo para pinturas ou desenhos. Aqui fica um dos poucos feitos nos últimos dias. Uma das minhas sobrinhas, durante uma pescaria/piquenique (principalmente piquenique...) no lindíssimo rio Douro.


* * *
It's been a busy August, with visits from family and friends. Not a lot of time for painting or sketching. So here's one of the few simple sketches I did of one of my nieces during a fishing/picnic (mostly picnic, really...) outing we did some days ago to beautiful Douro river.

Sunday, August 12, 2007

EDM #131: Spray bottle

Pintei este frasco de spray para o EDM desta semana - e o tema não podia ser mais apropriado, pois ultimamente tenho andado a ler e a procurar informação acerca de como fazer os nossos próprios produtos de limpeza amigos da saúde e do ambiente. Encontrei exactamente aquilo que queria em sítios como o Channel 4 inglês e o blog Sew Green. Anotei várias receitas e a que experimentei entretanto é a mais simples de todas: água e vinagre (5:1). Moderadamente ácido, o vinagre é um desinfectante natural que elimina bactérias e bolores, actua como tira-manchas e reduz os depósitos de calcáreo. Ou seja, um substituto perfeito para os detergentes à base de amónia, como a maioria dos limpa-vidros. Só que ao contrário destes, o nosso limpa-vidros caseiro não causa cheiros irritantes para as vias respiratórias ou para os olhos. A verdade é que a maior parte dos produtos de limpeza convencionais são não apenas maus para o ambiente, como tóxicos para nós. Compostos químicos comuns na maior parte destes produtos foram relacionados, entre outros, com problemas de infertilidade e com a asma. Felizmente, nos últimos anos tem havido um aumento do número de produtos amigos do ambiente disponíveis no mercado. Só que eles não são uma opção prática para nós, pois no nosso país apenas se encontram à venda nos principais centros urbanos. E para além disso, não são baratos.

Apesar de me ter divertido na minha pesquisa, a verdade é que bastava ter pensado um bocadinho para chegar à receita que acabei por pôr em prática. Pelo simples facto que sempre usei esta mistura para limpar o frigorífico - tal como a minha mãe faz, as minhas avós faziam, e também muitas outras pessoas que conheço. E se o vinagre é suficientemente bom para limpar o sítio onde guardamos a comida, então é porque é eficiente na limpeza e inofensivo para a saúde. O que são qualidades mais que suficientes para limpar outros sítios menos importantes da casa. Assim, de agora em diante, e progressivamente, passamos a banir a maior parte dos detergentes convencionais cá em casa (ainda há que testar outras receitas, por ex, adição de perfumes para limpar o chão).

Descoberta feita, fui ter com a senhora que nos ajuda nas limpezas, para lhe explicar o que eram os novos frascos. Ia preparada para alguns olhares de surpresa/desconfiança/"lá-vem-ela-outra-vez". Afinal de contas, ela tem tido que se adaptar a várias das nossas "peculiaridades", como o não uso de produtos químicos na horta, o ensino doméstico... Surpresa das surpresas, a reacção foi bem diversa: "Oh, pois! Ando para lhe dizer há um tempo, mas tenho-me esquecido: isso é o que eu agora uso para limpar os vidros lá em casa, funciona muito bem!" Nada mal, como lição de modéstia para mim... Claro que fiquei curiosa para saber onde é que ela tinha ido buscar a ideia. Bem, ela trabalhou até há pouco tempo no talho de um dos principais supermercados da cidade, e segundo me contou, desde há algum tempo para cá, a água e o vinagre passou a ser o único produto de limpeza admitido para limpar as superfícies de trabalho. Vou com certeza passar a comprar lá mais comida...

Para terminar este já longo post, acrescento apenas que estou muito satisfeita com este limpa-vidros caseiro. Experimentem vocês também, porque é eficiente e saudável. E não temam o cheiro a vinagre, pois desaparece em segundos. A minha filha mais velha, que adora fazer coisas, ficou muito entusiasmada e prontificou-se logo a desenhar a etiqueta, que mostra uma taça com vinagre (amarelo) e água (azul). O resto das cores, decidiu juntá-las depois porque lhe apeteceu...

* * *
I painted this spray bottle for this week's EDM topic. The topic couldn't have been more appropriate to the period I'm going through, for lately, I've been reading about and searching for instructions on how to make your own environmental-friendly, non-toxic cleaners for the house. I found exactly what I wanted at places like UK's Channel 4 and Sew Green. I found several recipes and the one I tried - and is inside this spray bottle - is the simplest of all: water plus vinegar (5:1). With its mildly acidic nature, vinegar is a natural disinfectant that eliminates bacteria and mold, it works as a stain remover and reduces lime deposits. Hence, a perfect substitute for ammonia-based cleaners, such as most glass cleaners. Unlike these, our home-made water-vinegar mixture does not produce irritating fumes that are a major eye irritant.
The truth is, most conventional commercial cleaning products are not only environmentally unfriendly but also toxic. Common chemicals in cleaning products have been proved to relate with asthma and reproductive problems, among others. Fortunately there has been an increase of eco-friendly products available on the market in the last years, but they are not an option for us, for they are not sold outside the major urban centres of the country. Plus, they are not cheap.
Although I enjoyed my “research”, the truth is it would have been enough to think a bit to arrive to this home-made recipe. In fact, I've always used it to clean the refrigerator – as my mother does and my grandmothers did, as well as many other people I know. So, if this is good enough to clean the place where we keep our food, it means it is efficient and harmless to our health. Then, it should be too, for other less noble cleaning purposes. So for now on, there will be a ban on most conventional cleaners around the house, as I try new recipes (e.g., adding add some nice perfume for the floors).
Discovery made, I went to tell the lady we have helping us with the housekeeping, so that she would know what the new bottles are all about. I was prepared for a few surprised/suspicious/there-she-comes-again looks. After all, she already had to get used to some of our “peculiarities”, like using no “chemiicals in the vegetable garden, homeschooling... But, surprise, surprise – the reaction was totally the opposite: “Oh, right! I've been wanting to tell you, but I keep forgetting, I'm using that too to clean my windows at home, it works really well!” How about this, for a little lesson on modesty?... Of course, I was curious to know where did she get the idea from. Well, she used to work at the butcher's shop of one of the major supermarkets of our town and lately, this was the only cleaning product allowed for cleaning their working surfaces. I'll surely be buying there more of our food...
Just to finish this already long post, I'm really happy with my home-made glass-cleaner. Do try it and don't be afraid of the smell, it vanishes in seconds. My older daughter was thrilled about it too (she likes making things) and made the label for the bottle: a bowl with vinegar (yellow) and water (blue). Then she decided to add more colours...

Saturday, August 4, 2007

I'm back!

Foram duas semanas e meia sem internet em casa e tenho muito que pôr em dia! Apesar de ser um grande aborrecimento, tenho que confessar que há algumas vantagens em se ficar “desligado”, tais como conseguir concentrar-me mais no trabalho ou passar uma maior parte do meu tempo livre a ler, fazer trabalhos manuais ou pintar. Outra coisa boa é, no regresso, encontrar surpresas agradáveis como a notícia de que o meu blog ganhou um Prémio Inspiração! Obrigada Designing Fairy, sinto-me lisonjeada! E como ganhadora do prémio, posso nomear outros cinco blogues que “inspiram os outros através das suas palavras e acções. Com uma atitude positiva e um espírito optimista, estes bloggers tornam a blogosfera um sítio melhor e encorajam os outros a fazer o mesmo”. Evidentemente, a Designing Fairy viria no topo da lista, mas como ela já ganhou um, vou listar outros cinco:
  • Time and a Word é um sítio lindo onde se encontram fotografias fantásticas e palavras que nos inspiram
  • Chocolate à Chuva é a casa de alguns dos melhores trabalhos manuais que já vi, mas tem muito mais do que isso
  • Inspire Me Thursday é uma dose semanal de criatividade, com desafios verdadeiramente inspiradores nos quais qualquer um pode participar
  • Photowanabe é outra grande combinação de excelentes fotografias e palavras
E estes são os sítios onde vou já de seguida, para ver o que se tem passado durante todo este tempo. Vão lá e visitem-nos também, verão que não se arrependem (depois de já ter escrito este post, fui visitar o Time and a Word e descobri que está a fechar porque o seu autor, Icarus, está a atravessar uma fase difícil. Mais uma razão para irmos lá todos deixar uma palavra de ânimo).
A imagem mostra uma das últimas páginas do meu álbum/diário ilustrado.
* * *
It's been two weeks and a half without internet at home and do I have heavy catching up to do! Although it is a real nuisance, I have to confess there are some advantages on being logged out, such as being able to better concentrate on my work, or spending more of my free time reading, crafting and painting. Another good thing is coming back to great surprises like finding out that my art journal was granted an Inspirational Award! Thank you, Designing Fairy, I am so honoured! Now, as an award winner, I can nominate five other blogs that “inspire others through their words and actions. With a positive attitude, and an uplifting spirit these bloggers make the blogosphere a better place, and encourage others to do the same. Obviously, Designing Fairy would be on top of the list, but since she already won one, I'll list another five:
  • Time and a Word is a beautiful place where you'll find amazing photographs and inspiring words
  • Chocolate à Chuva hosts some of the greatest crafts I've seen and a lot more
  • Inspire Me Thursday is a weekly dose of creativity with truly inspiring challenges you can participate in if you feel inclined to
  • Photowanabe is another happy combination of great photographs and sensible words
And these are the places where I'm going right away, to see what's been going on all this time. Go there and visit them too, I'm sure you will not regret it (after finishing this post, I went to visit Time and a Word to find out it is closing down. It's owner, Icarus, is going through a tough phase in his life, so there's one more reason to go there and leave a word of encouragement).
The picture shows a recent page from my illustrated journal.

Wednesday, July 18, 2007

The Puppet Show

Hoje passei uma bela tarde com as miúdas. Fomos ao teatro ver um espectáculo de marionetas muito divertido. Estava com medo que a mais pequena não estivesse à altura do acontecimento, porque não tinha feito a costumada sesta, mas ela gostou imenso! E com ela ao colo, sob a luz fraca dos projectores, ainda consegui fazer uns desenhos, que pintei com aguarelas ao chegar a casa.
* * *
I had a great time this afternoon with the girls. We went to the theatre and watched a great puppet show. I was afraid the younger one would not enjoy it, because she had skipped her afternoon nap, but she just loved it! And I even managed a few sketches with her on my lap, under the dim lights, that I coloured when I arrived home.

Monday, July 16, 2007

My First EDM Challenge - #127: Sky


Esta é a minha primeira participação no desafio Every Day Matters. O tema da semana é o céu e eu tentei pintar o céu visto da janela da minha cozinha. Gosto muito da vista desta janela e apesar de não o usar tanto como gostaria, este é um dos meus cantos preferidos para ler. Aqui ficam duas tentativas de retratar o céu deste meio-dia, com cerca de uma hora de intervalo entre elas. Quando estava a meio da primeira, tive que interromper para ir pôr fim a uma briga entre as miúdas - o que se nota, porque estava a tentar pintar o céu sobre o papel molhado e quando voltei, parte dele já estava seco... Quando acabei, adormeci a mais pequenina e fiz o segundo. Os azuis já tinham desaparecido e o céu estava agora mais escuro, mas com uma bonita luz amarelada a passar por entre as núvens densas.
* * *
This is my first participation in an Every Day Matters challenge. This week's theme is sky and I tried to picture the sky as seen from my kitchen's window. I love the view and although I don't use it as often as I would like to, this is one of my favourite reading spots. So here are two attempts at this noon's sky, approximmately one hour apart from each other. When I was in the middle of the first one I had to get up to stop a fight between the kids - and it shows, for I was trying to paint a wet into wet sky and when I got back, part of it was already dry. After finishing it, I put the small one to sleep and then did the second one. The blues had gone and the sky was now darker, but with a nice bright yellow light showing through the dense clouds.

Thursday, July 12, 2007

Inspire Me Thursday - Weekly Journal Prompt

O desafio da semana passada do Inspire Me Thursday era dividir uma página do diário gráfico em sete secções e, durante os sete dias seguintes, documentar exactamente o que estávamos a fazer às sete horas e onze minutos (da manhã ou da tarde, a escolha era nossa, apenas teria que se manter ao longo da semana). Aqui fica então o meu. Neste momento estou a usar um caderno muito pequeno (10x15 cm), mas como decidi acabá-lo antes de começar outro, foi este mesmo que usei. Foi um exercício divertido, que não levou mais de 10 minutos cada dia, até porque o espaço a preencher era tão pequeno. Confesso que no início achei que o resultado ia ser um bocado monótono, porque ilustrar o que se faz exactamente à mesma hora todos os dias iria inevitavelmente reflectir uma certa rotina, com repetição de tarefas. Mas quando cheguei ao fim fiquei surpreendida ao descobrir que afinal a rotina não é assim tão grande - apenas por duas vezes eu estava a fazer coisas semelhantes - e que há uma boa proporção de actividade ao ar livre. Vistas bem as coisas, este foi um belo desafio.

* * *

Last week's Inspire Me Thursday Weekly Prompt was to divide up a journal page into seven sections and for the next seven days, document what exactly we were doing at 7:11 each day (morning or evening was up to us, but we should keep it consistent throughout the week). So here's mine. I'm currently using a very tiny journal (10x15 cm), actually, it is more a notebook, but decided to finish it before I start a new one. It was a fun exercise, that didn't take more than 10 minutes each day, for the space to fill in was so small. I confess at first I thought it would turn out a bit dull, for journaling at exactly the same hour every day would innevitably lead to a dull repetition of a same routine. But in the end, I was surprised to find out there isn't a real routine - only twice was I doing similar things - and that there's a good share of outdoors activities in green settings. All in all, this was a great prompt.

Saturday, June 30, 2007

Sketchbook - Bragança

Sexta-feira à tarde tive uma daquelas consultas médicas que nos fazem perder horas e horas numa sala de espera. Por isso levei dois livros, o caderno de desenhos, uma tablete de chocolate e uma garrafa de água. Fiz bem. Houve tempo para vir cá fora fazer dois desenhos - o que saiu melhor foi esta vista do castelo - num sítio muito agradável, quase no topo de uma colina por cima do rio, em frente à parte antiga da cidade. Sentei-me num muro de pedra, de costas para o carro vermelho estacionado à sombra da pequena capela - espero não ter incomodado demasiado os namorados, mas julgo que não, pois eles lá continuaram... Meia hora mais tarde regressei à clínica e ainda tive tempo para acabar um dos livros, começar o segundo, comer metade do chocolate e esvaziar a garrafa de água. Afinal de contas, nem foi uma tarde mal passada, até porque fiquei a saber que estou de excelente saúde.

* * *
Friday afternoon, I had one of those medical appointements that make you lose endless hours in a waiting room. So I took two books, my sketchbook, a chocolate bar and a bottle of water. I did well. I had time enough to come outside and make two sketches - this view of the castle being the most successful of them. The place is lovely, almost on the top of a hill above the river, facing the old part of town. I sat on a stone wall, my back to the red car parked in the shadow of the small chapel - I hope I didn't disturb the lovers too much, but I don't think so, because they just stayed there... Half an hour later, I went back and had time to finish one of the books and start the second one, eat half the chocolate bar and empty the bottle of water. In the end, it was a good afternoon, also because I found my health is excellent.

Wednesday, June 20, 2007

Inspire Me Thursday - Wood



Esta é a minha primeira participação no Inspire Me Thursday, um dos desafios criativos mais interessantes do mundo dos blogues. Vão lá visitar, que não se arrependem. Para o tema desta semana (madeira), eu tinha pensado pintar um dos grandes castanheiros que crescem perto da nossa casa. Mas o tempo tem estado tão horrível, que acabei por mudar de ideias e pintar um objecto feito de madeira. E fiz esta casa-ninho, que também vou usar para mais um cartão ("Casa Nova" ou "Mudámo-nos", ainda não decidi) da minha loja. 
* * *
This is my first entry to Inspire Me Thursday, one of the most interesting creative challenges currently ongoing in the blog world. Go there and visit, you won't regret it. For this week's creative prompt (wood), I wanted to paint one of the big chestnut trees that grow near our house. However, the weather has been so dreadful all week, that I decided to paint something made of wood instead. So I did this wooded bird's house, that I will also use for a "New Home" or "We've moved" (still deciding) card for my Card Store.

Monday, June 18, 2007

Watch Out for my New Card Store!

O meu trabalho está, pela primeira vez, à venda na internet. Sob a forma de cartões, que podem ver aqui. Ainda tenho que trabalhar no layout da loja e colocar lá muito mais "mercadoria", mas estou tão entusiasmada, que tinha mesmo que vir aqui dar a notícia! Este site fantástico está aberto a qualquer artista (após uma selecção dos trabalhos propostos) e tenho que agradecer à talentosa Emila Yusof por ter feito um post sobre ele e, dessa forma, mo ter dado a conhecer. Podem visitar também a loja dela aqui. A imagem mostra o primeiro cartão que coloquei na Ana's Card Store.
* * *
My work is finally on sale in the web for the first time, in the form of greeting cards. Check it out here. I still have to work on the store's layout and add more cards to it, but I'm so happy that I had to share it here! This amazing site is open to any artist (after selection of the artwork submitted) and I must thank the talented Emila Yusof for posting about it and hence letting me know about it. You can also visit her card store here. The picture shows the first card I uploaded to Ana's Card Store.

Saturday, June 16, 2007

Sketchbook - at the restaurant

O trabalho ainda se acumula, por isso os desenhos continuam a resumir-se aos rabiscos dos cadernos de apontamentos. Este foi feito ontem, na pizzaria onde vou quase todas as semanas com as minhas filhas. Já há bastante tempo que desenho em locais públicos sem que ninguém repare. No restaurante, desenho normalmente os outros clientes - já tentei as empregadas algumas vezes, mas elas mexem-se normalmente tão depressa, que nunca tinha conseguido acabar nenhuma. Bem, ontem consegui, e fiquei tão contente, que o mostrei a uma das minhas filhas. Para meu horror, ela foi direita às meninas da pizzaria - com quem já tem bastante à vontade - caderno na mão, e disse: "olhem, a mamã desenhou o restaurante!" A rapariga que eu desenhei ficou literalmente de boca aberta e murmurou um "Sou eu? Obrigada..." Na verdade, acho que ela foi tão apanhada de surpresa como eu! Em casa, colori com aguarelas e agora estou com dúvidas se lho hei-de dar a próxima vez que lá for. É que, para além da surpresa, ela pareceu realmente lisongeada por me ter servido de modelo, mas a verdade é que é só um rabisco, nem sequer se parece muito com ela e, acima de tudo, nao quero parecer uma grande convencida. Alguma ideia? Já alguém passou por uma situação semelhante? Mmm?

* * * 
Work is still a bit heavy, meaning art keeps resuming to short doodlings on my skecthbooks. This one was done yesterday at the pizza restaurant I go with my kids once a week. I've been sketching in public places for a long time without anyone noticing. In the restaurant, I usually sketch other customers - I've tried the girls that work there before, but they usually move so fast that I've never been able to finish one. Well, today I did and showed it to one of my daughters. To my dismay, she went straight to the girls - with whom she is already quite familiar - my sketchbook in hand, and said: "look, mum has drawn the restaurant!" The girl I sketched just stood looking with her mouth wide open and mumbled a faint: "Is this me? Thank you..." I think she was as surprised as I was! I added watercolours when I arrived home and now I'm having doubts whether I should give it to her the next time I go there. I mean, she looked really pleased to be the model of the sketch, which is why I am thinking about this in the first place, but it is really just a sketch and it doesn't even look a lot like her and most of all I don't want to look conceited. So... has anyone had a similar experience before? And even if not, what are your feelings about it?

Saturday, June 9, 2007

The castle of Bragança

Mais um apontamento da cidade onde vivo, mostrando o castelo e os edifícios antigos em volta. Esta é, sem dúvida, a parte mais bonita da cidade. As minhas filhas gostam muito de ir lá acima. Decididamente, temos que lá ir mais vezes, porque para além do mais, o castelo oferece óptimas oportunidades para desenhar. Este foi feito há cerca de dois meses atrás no meu caderno de apontamentos com uma caneta à prova de água e aguarelas por cima.
* * *
Another sketch from the town where I live, showing the castle and surrounding buildings. It is the nicest part of town, and my kids love going up to the castle. We definitely have to go there more often, it offers great sketching opportunities. I did this one around two months ago on my sketchbook with a waterproof pen and then applied watercolours on top.

Thursday, June 7, 2007

Notebooks

Gosto muito de cadernos de apontamentos. Cadernos de esboços, blocos de aguarelas, grandes, pequenos, feitos à mão ou de compra, não interessa, gosto de todos. Não há nada que se compare a abrir pela primeira vez um caderno novinho e lançar-se a preencher a primeira página - tão branca, tão vazia e tão convidativa. A estas horas já devem estar a pensar que eu tenho resmas de cadernos e blocos empilhados pelos cantos, mas não. Primeiro, porque normalmente não são baratos. E depois, porque por várias razões (incluindo as ambientais), procuro evitar acumular coisas, comprando apenas aquilo de que preciso e quando preciso. E, quando possível, também tento fazer eu própria as minhas coisas (pelas mesmas razões, porque - como o meu pai - gosto de fazer coisas e também para que as minhas filhas aprendam que, se quisermos, é muito aquilo que conseguimos fazer). Claro está que, às vezes, não consigo resistir. Como estes blocos de aguarelas, por exemplo. Foi a nossa amiga M. que os descobriu no novo bazar chinês que abriu na cidade há não muito tempo. O papel é bom, o tamanho confortável para transportar de um lado para o outro (24 páginas de 19x27 cm) e o preço, simplesmente espantoso - 2 €! Têm apenas um defeito: a capa é verdaderamente horrorosa (imagem da esquerda). Por isso decidi dar-lhe um jeitinho, usando uma pintura feita pela minha filha M., há algum tempo atrás,, com carimbos de batatas. Agora não posso esperar para começar a usá-lo. Se gostarem tanto de cadernos como eu, talvez achem este sítio interessante.

* * *

I love notebooks. Sketchbooks, watercolour travelling pads, big, small, handmade or not, it doesn't matter, I love them all. Nothing compares to opening a fresh new notebook and diving in to fill its first page - so white, so empty and so inviting. You might be thinking by now that I have loads of them piling up in my studio. Well, I don't. In the first place, they are usually not cheap. And in the second place, for various reasons (including environmental ones) I'm into avoiding accumulating things, so I try to buy only what I really need and when I need it. I'm also trying to make as much as I can, instead of buying (for the same reasons and also because - like my father - I like to create, and I want my kids to learn there is plenty we can do it if we want to). Of course, sometimes I just can't resist. Like these watercolour pads, for instance. Our friend M. found them in the new Chinese bazaar that opened in town not long ago. The paper is good, the size is comfortable to carry around (24 pages 19x27cm) and the price... simply amazing - 2€! Only one shortcoming: the cover was really ugly (picture on the left). So I decided to brighten it up, using a potato stamp painting done by my daughter M. a few months ago (on the right). Now I just can't wait to start drawing in it. If you like notebooks as much as I do, maybe you'll find this site interesting.

Tuesday, June 5, 2007

More sketches
























Mais desenhos da sala de espera da piscina - pais e avós à espera que as suas crianças terminem as aulas de natção. Ultimamente não tem havido tempo para muito mais do que isto...

* * *
More sketches from the swimming-pool lobby - parents and grandparents waiting for their kids to finish their swimming-lessons. Lately, there hasn't been time for much more than this...

Sunday, June 3, 2007

IF - Your Paradise

 















O tema desta semana do desafio Illustration Friday é "o teu paraíso". O meu é, sem dúvida, o sítio que escolhi para viver, as paisagens desafogadas do nordeste transmontano. Quando comecei a vir para aqui, vinda de Lisboa onde vivia, há mais de 10 anos atrás, nunca deixava de me surpreender como, à medida que me aproximava, as estradas iam perdendo movimento, as paisagens se iam tornando mais serenas, e a vida selvagem estava presente em cada esquina. Aqui fica um bocadinho para vocês, pintado com aguarelas sobre papel.

* * *

This week's IF's topic is "your paradise". Well, mine is clearly the place I chose to live in, the open, hilly landscapes of northeast Portugal. When I first started to come here from busy Lisbon where I lived more than 10 years ago, I was always amazed how, as I got closer, the roads gradually lost traffic, the landscape grew quieter and wildlife peeked at every corner. Here's a little bit for you, painted with watrcolours on paper.

Tuesday, May 29, 2007

Science Illustration Exhibition in Bragança

A abertura da nossa exposição de Ilustração Científica em Bragança foi ontem à noite. Eu nunca fui grande apreciadora de qualquer tipo de evento social, mas este, apesar de não ter muita gente, até correu bastante bem. A melhor parte foi mesmo a oportunidade de encontar alguns colegas e amigos que não via há já algum tempo. E não é que até vendi um trabalho? Não era para ter colocado nenhum à venda, porque não estou habituada a vender originais, apenas os direitos de publicação, que é como o mercado da ilustração normalmente funciona. Mas no final, o Nuno e o Fernando decidiram pôr à venda as suas ilustrações digitais e o João e eu colocámos à venda três originais, cada (para além de termos feito uma troca). Muito honestamente, não estava à espera de vender nenhum, porque a flora e a fauna nunca foram temas muito populares em Portugal, onde nem sequer existe uma tradição de wildlife art (acho que nem temos tradução para a expressão, que ficaria algo do género arte sobre vida selvagem). E, secretamente, até pensei "ainda bem, porque assim não tenho que me desfazer de nenhum original". Acreditem, a ideia de nos separarmos de um trabalho de que gostamos e que nos levou dezenas, por vezes mais de uma centena de horas a fazer, não é, à partida, agradável. Por isso fiquei surpreendida quando dei comigo feliz por ver o trabalho passar para as mãos de duas pessoas que sei que o apreciam genuinamente. O L. tem razão quando diz que uma ilustração está melhor com alguém que realmente gosta dela, a vai pendurar num sítio especial lá em casa e mostrá-la aos amigos e familiares, em vez de encaixotada com outras dezenas num sítio escuro onde ninguém a pode ver. É que apesar de eu ainda ter muito espaço nas paredes, nunca conseguiria pendurar tudo o que tenho, para além do facto de detestar espaços muito cheios. Mais notícias da exposição: o presidente da câmara estava lá e parecia realmente interessado, fez imensas perguntas pertinentes; uma jornalista local também fez muitas perguntas, não tão pertinentes, mas era muito simpática. E, finalmente, as minhas duas filhas (de 2 e 5 anos) também "abrilhantaram" a festa com as suas brincadeiras ruidosas e felizes com outros miúdos, e teria sido impossível falar com todas as pessoas se não fosse o L. ter tomado conta delas. A imagem mostra a última fase de montagem da exposição, poucas horas antes da abertura ("mamã, eu gosto mesmo disto, quero trabalhar aqui", dizia a M.). 
 * * *

The opening of our Science Illustration Exhibition in Bragança was last night. I've never been very fond of any kind of social events, but this one, despite not having a lot of people, went very well. The best part was the chance to meet a few old friends and colleagues that I hadn't seen for quite a long time. And can you believe I even sold a piece? I was not going to price any of my illustrations, for I'm not used to selling originals, just the rights to publish them (this being how illustration usually works). But in the end, Nuno and Fernando decided to price their digital prints and João and I priced three originals each (and we also made a swap between us). I honestly thought they wouldn't sell, for flora/fauna have never been hot art subjects in Portugal where there isn't even a tradition of wildlife art. And I secretly thought "Great, I won't have to part with my originals, then", for believe me, the thought of letting go something you devoted tens, sometimes more than a hundred work hours to, can be really hard. So I was really surprised when I found myself feeling actually happy to see that piece go to the hands of someone that I know genuinely loved it. Let's face it, my husband L. is right when he sais that an illustration is better in the hands of someone who loves it and will hang it in some nice spot in their home and show it to friends and relatives, than packed with dozens of others inside a box where nobody can see it. For although I still have plenty of wall space, there's no way I could hang everything I own (not to speak about my hatred for cluttered spaces). More news from the opening: the mayor was there, he was really interested and made a lot of cleaver questions, there was a local journalist, she also made questions, not so cleaver, but she was very nice. And finally, my two kids (2 and 5 yo) were there, happy and noisy, playing with other kids and it would have been impossible to talk with everyone if it wasn't for L keeping an eye on them. The picture shows the final stages of the putting up of the exhibition, just a few hours before the opening ("mummy, I really like this, I want to work here", M. said)

Sunday, May 27, 2007

Segovia, Spain

Na sexta-feira passada fui a uma reunião em Segovia. Pensei que ia demorar tanto tempo a chegar lá como a Madrid, por isso saí cedo, de maneira a chegar a tempo de tomar o pequeno-almoço com os colegas que já lá estavam desde o dia anterior. Mas afinal cheguei bastante cedo, por isso fui andando devagarinho pelas ruas da cidade, que é muito bonita. Estava muito frio (6ºC), mas uns raios de sol que se escapavam por entre as núvens faziam brilhar os tons ocres dos edifícios antigos e das igrejas, daquela maneira que só acontece de manhã bem cedinho. Um enorme bando de andorinhões guinchava em vôos alucinantes em volta da torre de uma velha igreja e as ruas começavam a encher-se de pessoas apressadas para o trabalho e de grupos ruidosos de miúdos que iam para a escola. Já à porta do hotel, sentei-me um bocadinho na sossegada Plaza de las Sirenas. Não encontrei nenhuma sereia, mas a vista era suficientemente bonita para fazer um desenho rápido, com uma aguada e tudo (levei as aguarelas, pois!).
* * * 
Last Friday I went to a meeting in Segovia. I thought it would take me as long to get there as to Madrid, so I left early, to get there on time for breakfast with the other colleagues who were there since the day before. But I arrived really early, so, before going in, I took my time to watch the town, that looks really nice. It was freezing cold (6ºC), but the rising sun peeking through the cloudy sky made the ochre of the old buildings and churches glow. Swifts dashed squealing around an old church tower and the streets were starting to get busy with people hurrying to work and noisy kids running to school. Just outside the hotel, I sat for a while in the quiet Plaza de las Sirenas (Mermaids' Square). I couldn't find any mermaid, but the view was lovely enough for this quick sketch, with a watercolour wash and all (yes, I took them along!).

Monday, May 21, 2007

Calendário com rabiscos / Calendar doodle page


Estou a atravessar um período de trabalho verdadeiramente assoberbante. Deve-se principalmente ao meu trabalho na área da consultoria e não da ilustração (apesar de neste campo também ter umas coisitas para terminar). Basicamente, trabalho todos os minutos livres do dia (bem, isto agora foi um pequeno e merecido intervalo enquanto tomo o café) e depois continuo pela noite fora até começar a adormecer em cima do teclado... Nada de mal entendidos, gosto muito do trabalho que estou a fazer, é só que é muito de uma vez só. Não tenho tido tempo para ler, desenhar ou pintar, nem sequer para uma página de calendário com rabiscos, uma ideia muito inspiradora da Mahima que experimentei o mês passado e de que gostei imenso. Felizmente, todo este estado de coisas vai acalmar - ou pelo menos assim está planeado - no início do mês que vem. Enfim, acho que trabalhar por conta própria é isto mesmo...

* * *

I'm going through a period of overwhelming work. Mainly, it is due to my work as a biologist consultant and not as an illustrator (although I have a small piece and a few tasks to finish here too). I just work every free minute of the day (well, this was just a tiny and deserved break while I drink my coffee) and then throughout the night,until I start falling asleep over the keyboard...It's great work, don't get me wrong, it's just that it's too much at the same time. I haven't had any time to read, draw or paint lately, not even for a calendar doodle page, an inspiring idea by Mahima that I tried out last month and loved. Hopefully, all this state of things is planned to get down to a bearable rhythm by the beginning of next month - I guess this is what freelancing is all about...

Monday, May 14, 2007

My exhibition is coming




Na verdade, trata-se da
nossa exposição, pois vamos ser quatro ilustradores científicos a expor os nossos trabalhos na sala de exposições principal do Centro Cultural de Bragança. Podem ver o trabalho dos meus colegas João Cruz aqui, e o do Nuno Farinha e Fernando Correia aqui. A abertura é já no próximo dia 28 e ainda há tanto trabalho para fazer... (editado para acrescentar que, evidentemente, estão todos convidados)
* * *
Actually, our exhibition, because there's four of us science illustrators exhibiting our work in the main gallery of the Cultural Centre of Bragança. You can check out the work of my artist friends João Cruz here, and Nuno Farinha and Fernando Correia here. The opening is already on the 28th and there's still so much to do... (edited to add that all of you are obviously invited)

Tuesday, May 8, 2007

Sketchbook - Bragança


Mais umas páginas do meu caderno de apontamentos, desenhadas a partir de uma das janelas da biblioteca infantil, enquanto esperava pelas minhas filhas. Bragança tem edifícios antigos muito bonitos, tais como o amarelo do desenho. No andar de baixo funciona um café onde se comem umas excelentes tostas mistas feitas com pão caseiro. No Verão, pode-se ficar na esplanada, que dá para o rio Fervença, que atravessa a cidade.
* * * 
Another couple of pages from my sketchbook, drawn from one of the children's library windows, while waiting for my kids. The town of Bragança has beautiful old buildings like the yellow one on the sketch. On the ground floor there is a café where they serve these delicious cheese and ham toasts made with traditional bread. In the summer we can use the esplanada, with an excellent view to the river Fervença.

Saturday, May 5, 2007

IF - Neighbor






Esta é a minha proposta para o desafio Illustration Friday desta semana - vizinho. Nunca tinha ilustrado este tema e diverti-me com várias ideias (como a das aranhas, mais abaixo), mas esta foi aquela de que gostei mais. Mesquitas na vizinhança de igrejas católicas ou ortodoxas são hoje em dia algo comum por toda a Europa. Contudo, por vezes ainda há vales que é preciso atravessar. Ambas as ilustrações foram feitas com aguarelas e depois levaram um ligeiro toque com o filtro cartoon do Gimp.
* * *
This is my entry for this week's topic of Illustration Friday - neighbor. I had never illustrated this theme and had fun with several ideas (like the spiders one below) but I liked this one best. Neighbouring mosques and catholic or orthodox churches are now a common sight across Europe. Sometimes, though, there are still valleys that need to be crossed. Both illustrations were rendered with watercolours and then had a slight cartoon filter touch with Gimp.

Tuesday, May 1, 2007

Sketchbook





Duas páginas recentes do meu caderno de apontamentos. A primeira mostra uns homens bem vestidos num café. Havia mais, mas levantaram-se pouco depois de eu ter chegado, por isso só tive tempo para desenhar estes dois. A segunda mostra algumas pessoas que
desenhei enquanto esperava que a aula de natação da minha filha mais velha terminasse. Ambas foram desenhadas com uma caneta de tinta preta à prova de água e coloridas com aguarelas ao chegar a casa.
* * *
Two recent pages from my sketchbook. The first shows some well dressed men sitting at a cafe. There were more of them, but they left a few minutes after I arrived, so I only had time to draw two of them. The second shows some people drawn while waiting for my oldest daughter to finish her swimming lesson. Both were drawn with a waterproof pen and coloured later with watercolours, when I arrived home.

Monday, April 30, 2007

Fringed Water Lilly - detail

Esta é a última ilustração feita para o livro das piscinas biológicas, terminada há já alguns dias. Mostra em pormenor as flores e folhas de uma espécie que já apareceu num post anterior. A parte colorida foi feita com aguarelas e lápis de cor, o resto em grafite.
Editado para acrescentar que se por um lado me sinto aliviada por ter chegado ao fim, por outro tenho uma certa pena, porque foi um trabalho que gostei muito de fazer!
* * *
 Here's the last illustration for the biological pools book, completed a few days ago. It shows in detail the flowers and leaves of the water plant depicted in a previous post. The colour part was rendered in watercolours and coloured pencils, the rest in graphite.
Edited to add that if on one hand I feel kind of relieved this is finally over, on the other hand I feel sort of sad, for I really enjoyed doing this work!

Wednesday, April 25, 2007

Recycling old favourites








A imagem mostra uma ilustração antiga de que gosto particularmente. Mostra um velho chuveiro de piscina inteligentemente dissimulado por trás de uma cortina de papiros. Foi pintada com aguarelas e tinta preta à prova de água. Vou usá-la para o projecto que tenho em mãos.

* * *
This is an old favourite of mine. It shows an old swimming pool shower cleverly disguised behind a curtainof papyrus plants, rendered in watercolour and ink. I will be using it for my ongoing project.